Experimento de Michelson-Morley

Publicado em: 13 Fev 2009
Atualizado em: 13 Fev 2009

Em 1887, Albert Michelson e Edward Morley realizaram uma experiência que mostrou que a velocidade da Terra em relação a um suposto éter não podia ser detectada. Basicamente, o experimento consistiu em comparar os intervalos de tempo que a luz levava para percorrer a mesma distância em duas situações: na mesma direção ou perpendicular à direção de movimento da Terra em relação ao éter.
A simulação abaixo explica porque uma diferença de tempo entre os dois casos era esperada.

1. O interferômetro está em "repouso" com relação ao "espaço absoluto".
A luz leva o mesmo tempo para percorrer as duas trajetórias.

2. O interferômetro está em "movimento" com relação ao "espaço absoluto".
A luz leva mais tempo para percorrer o trajeto na direção do movimento.

O experimento de Michelson-Morley, assim como outros posteriores a ele, não detectou nenhuma diferença de tempo. Esse resultado levou Lorentz a sugerir que os corpos materiais se contraem quando se movem.

Para entender melhor o experimento de Michelson-Morley, acesse a página do professor Kleber C. Mundim, da UNB.

No artigo "Os resultados negativos dos experimentos de Michelson-Morley refutaram a teoria do éter? A teoria da relatividade restrita seoriginou dos experimentos de Michelson-Morley?", publicado na revista online Spin Eletrônico (N° 406 / 26 nov. a 3 dez. de 2004), o professor Fernando Lang da Silveira, do Instituto de física da UFRGS, discute as falsas relações históricas entre esse experimento e o desenvolvimento da Teoria da Relatividade Restrita por Albert Einstein.

Publicado sob permissão do autor: © Don Ion.

Você precisa ter o Flash Player instalado em seu computador para rodar essa simulação.


Link: Physics Flash Animations



Envie para um amigo

Ir para galeria de simulações sobre física moderna e contemporânea